Panetones lucrativos e sua origem

O panetones lucrativos é um alimento tradicional da época de Natal, de origem milanesa, do norte da Itália. Várias lendas tentam explicar a sua origem. O pão doce de natal possui fragrância discreta de baunilha e recheio de frutas secas, tais como damasco, laranja, limão, figo, maçã, cidra e a uva passa.

Apesar de geralmente ser associado à cultura milanesa, tendo a forma alta e mais fina, há também o panetone piemontês, diferente apenas por ser mais largo e redondo.

De tão tradicional no Brasil, o panetone parece ter sido inventado aqui mesmo. Mas não foi. O pão amplamente consumido no Natal foi criado em Milão, na Itália, graças ao “erro” de um padeiro. A lenda em torno de sua criação.

Tradicional iguaria consumida na época do Natal, o panetone é um pão doce, recheado de frutas secas (uvas passas e frutas cristalizadas). Tem fragrância de baunilha. Sua consistência macia é resultado de um processo de fermentação natural.

A origem do panetone é um mistério. Existem várias lendas sobre sua origem, com uma descrição em comum: o Panetone tem origem em Milão, na Itália.

Segundo uma das lendas, o panetone foi criado por um padeiro chamado Toni, que trabalhava na padaria Della Grazia, em Milão, na época de Ludovico, o Mouro (1452 – 1508). O jovem padeiro, apaixonado pela filha do patrão, teria inventado o pão doce para impressionar o pai de sua amada. Os fregueses passaram a pedir o “Pani de Toni”, que evoluiu para o “panattón” (vocábulo milanês), e depois para “panettone” (italiano).

Segundo outra lenda, o panetone foi inventado na corte de Ludovico, o Mouro, na véspera do Natal, entre os anos de 1494-1500. Conta a lenda que o Natal era uma grande festa celebrada com grandes banquetes. Em um dos Natais, a sobremesa que havia sido preparada queimou ao ser assada. Um dos empregados da cozinha, chamado Antonio, havia preparado uma massa com sobras de ingredientes, que pretendia levar para sua casa. Sem outra opção, ofereceu sua massa para servir como sobremesa para a corte. De acordo com a lenda, a sobremesa foi tão apreciada que Ludovico perguntou qual o nome da iguaria. O jovem Antonio, chamado para responder a pergunta de Ludovico, disse que a sobremesa não tinha nome. Ludovico resolveu chamá-la de “Pani de Toni”, dando origem ao nome.

Outra lenda diz que o panetone foi inventado no século III d. C. Á princípio, segundo essa versão, teria a forma de um pão grande.

Atualmente, o panetone é comercializado em unidades, geralmente de 500 gramas. Nas últimas écadas, surgiram inúmeras variedades de recheios de panetone (Chocotone, Colomba Pascoal, Sorvetone, etc.).

São Paulo – De tão tradicional no Brasil, o panetone parece ter sido inventado aqui mesmo. Mas não foi. O pão amplamente consumido no Natal foi criado em Milão, na Itália, graças ao “erro” de um padeiro.

A lenda em torno de sua criação remonta ao ano de 900 e diz que o humilde assistente de padeiro Toni, após ter trabalhado horas a fio na véspera de Natal, precisava ainda assar mais uma fornada de pães e preparar uma torta para seu chefe.

De tão exausto que estava, confundiu-se e colocou as uvas passas da torta na massa de pão.

Desesperado, tentou salvar a situação jogando frutas cristalizadas, manteiga, ovos e os demais ingredientes do recheio que seriam usados originalmente na torta. Toni assou a mistura e entregou para o patrão.

O que o assistente não esperava era que sua criação fizesse sucesso durante a ceia de Natal de seu chefe, que, além de elogiá-lo, decidiu homenageá-lo e dar o nome à massa de “pane di Toni” (“Pão do Toni”, na tradução do italiano). Com o passar do tempo, o bolo começou a ser chamado de panetone.

Como toda boa lenda, a origem do panetone possui várias versões, mas todas elas têm Toni como denominador comum. A chegada dos imigrantes italianos no Brasil após a II Guerra Mundial trouxe o panetone para o país. A Bauducco diz que o fundador na empresa, o italiano Carlo Bauducco, começou a vender o produto aqui a partir de 1948.

A confecção do panetone clássico na Itália é tão levada a sério que em 2005 passaram a ser especificados por lei os ingredientes e os percentuais mínimos que devem ser utilizados para que o bolo possa ser classificado como panetone. Em entrevista à ANSA, a Bauli, umas das mais tradicionais empresas no ramo de panetones na Itália, explicou que o decreto determina que sejam utilizados “farinha, sal, açúcar, ovos, nata e frutas cristalizadas, cuja quantidade não pode ser inferior a 20%”. Sem frutas – Na Itália, além do panetone, o pandoro também disputa a preferência no paladar italiano durante o Natal. Essa variação, criada em Verona, é similar ao panetone, mas não leva frutas.

No entanto, apesar de serem ambos tradicionais, o panetone acaba sendo o mais procurado. “O panetone é certamente o mais popular”, afirma o confeiteiro Carlo Pozza, da padaria Da Venicio, em Vicenza, na Itália. As “invencionices” brasileiras, como panetones de doce de leite, que fogem do tradicional, também podem ser encontrados na Itália. “Nos últimos tempos, os confeiteiros começaram a oferecer panetones com ingredientes diferentes, como pistache, fruta fresca, limoncello (espécie de licor de limão), chocolate, cerveja ou vinho doce”, disse à ANSA o especialista Davide Polini.

“Esses panetones servem para estimular as vendas, levando a clientela a provar gostos diferentes”, afirmou o mestre confeiteiro Murizio Busi, da Pasticceria Paola, em Ferrara, na Itália. “Mas, em minha opinião, os tradicionais são sempre melhores”, afirmou o mestre, que também faz parte da Accademia Maestri Pasticceri Italiani, associação que reúne importantes expoentes da confeitaria do país. Nos últimos anos, também foram introduzidos no mercado italiano os panetones salgados.

É possível encontrar versões com alcaçuz e açafrão, tartufo, gorgonzola e até mesmo o “panetone pizza”. Lançado em Nápoles, leva ricota doce, flocos de frutas e de chocolate cristalizados colocados sobre a massa tradicional de pizza. O bolo milanês inspirou até mesmo o “Cocktail Panettone”, bebida para os brindes de fim de ano. Industrial x Artesanal – No Brasil, já se pode encontrar há algum tempo panetones artesanais. Algumas padarias, por exemplo, tiram de seus próprios fornos sua produção dos bolos natalinos.

Na Itália, apesar de serem um pouco mais difundidos e apreciados, são os industriais que ganham na preferência dos consumidores. “Em 2008, foram vendidos na Itália 100 milhões de panetones, mas somente 20% eram artesanais”, explica o confeiteiro Iginio Massari, da Pasticceria Veneto, em Bréscia, no norte da Itália.

Por outro lado, o confeiteiro Maurizio Busi acredita que a matéria-prima dos panetones artesanais é melhor. “O frescor, a riqueza dos ingredientes, a personalização e a busca pelos melhores ingredientes, além das habilidades do confeiteiro, fazem toda a diferença”, acredita. O panetone é tão amado na Itália que foi criado o projeto “Panettone tuttol’anno” (“Panetone o ano todo”). Idealizado pelo “gastronauta” Davide Polini, propõe que o panetone seja vendido constantemente.

“Por que só no Natal? O panetone pode ser consumido em todas as estações. Acho um absurdo que se deva comê-lo somente nesta época do ano”, disse. Polini já comeu panetone inclusive no verão, “na praia, embaixo de um guarda-sol, acompanhado de sorvete”. E aqui, será que a moda pega?

1 kg de farinha de trigo peneirada
3 ovos (grandes)
1 copo (americano) de açúcar
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
250 ml de leite morno
50 g de fermento biológico
300 g de frutas cristalizadas (ou cubos de chocolate)
250 g de uva passa (de preferência sem sementes)
20 ml de essência de panetone (opcional)
raspas de 1 limão

Veja também: panetones lucrativos

O longo caminho de Três Grandes
Pães medievais até o Panetone
“Panetone” vem de Pão de Toni?? De acordo com esta entrada terminológica, Toni, um humilde ajudante de cozinha de Ludovico o Mouro, seria o inventor de um dos doces mais característicos da tradição italiana. Eis a história: na véspera de Natal, o cozinheiro-chefe de Sforza queimou o doce preparado para o banquete ducal. Toni, então, decide sacrificar o pão de levedura-mãe que tinha reservado para o seu Natal. Ele o prepara bastante com farinha, ovos, açúcar, uvas passas e frutas cristalizadas, até obter uma massa macia e muito levedada. O resultado é um sucesso estrondoso, que Ludovico o Mouro chama de Pão de Toni, em homenagem ao criador.

A primazia de Toni não é assim tão pacífica O empreendedor ajudante de cozinha disputa com outros criadores da confeitaria, entre os quais se destacam Ughetto degli Atellani e a Irmã Ughetta. No entanto, o lugar da disputa não é na história e sim no imaginário colectivo: a história de Toni e as outras são lendas criadas entre o fim do século XIX e início do XX para ilustrar ainda mais o que já era orgulho da gastronomia de Milão. Ughetto e Ughetta, entre outras coisas, são nomes ligados à palavra milanesa para uva passa: ughett.

A verdadeira origem do panetone deve ser procurada no costume difundido na época medieval de celebrar o Natal com um pão mais saboroso que o de todos os dias. Um manuscrito tardio do século XV de Giorgio Valagussa, preceptor da casa Sforza, atesta o costume ducal de celebrar o chamado rito do tronco. Na noite de 24 de dezembro colocava-se um grosso tronco de madeira no caminho e, enquanto isso, eram levados à mesa três grandes pães de trigo, matéria prima de grande valor na época. O chefe de família servia uma fatia para todos os comensais, reservando uma para o ano seguinte, como símbolo de continuidade.

Outra realidade histórica sugere a origem do panetone de um grande pão de trigo do Natal: até 1395 todos os fornos de Milão (exceto o pertencente aos Rosti, fornecedor das pessoas com maior poder aquisitivo) tinham permissão de cozinhar pão de trigo apenas no Natal, Como homenagem aos seus clientes habituais. O costume de comer pão de trigo no Natal, no entanto, é muito antiga. Não é de admirar-se, porque muitas outras cidades italianas e europeias compartilham o costume de pão enriquecido na época de festas. No entanto, apenas em Milão se tornou panetone.

Desta longa evolução, algumas fases estão documentadas. Em 1606, de acordo com o primeiro dicionário milanês-italiano (Varon milanes), o Panaton de Danedaa era um Pão Grande, que é feito geralmente no dia de Natal, como Metáfora um inepto [sic], preguiçoso, recente. Francesco Cherubini nos dá uma descrição mais rica no seu célebre Vocabulário milanês-italiano em cinco volumes (publicado entre 1839 e 1856; o terceiro volume M-Q é de 1841). O Panattón ou Panatton de Natal como uma Spe[cie] de pão de trigo decorado com manteiga, ovos, açúcar e uvas passas (ughett) ou sultana, com a adição de amêndoas na massa quando cozida e que resulta com muitas pontas. Grande e de uma ou mais libras, costumamos fazê-lo apenas no Natal, de massa igual ou similar mas em panellini. É feito todos os anos nas festas e é chamado Panattonin – Na zona rural, por outro lado, o Panatton costuma ser de farinha de grão turco e enriquecido com pedaços de maçãs e sementes de uva.

A primeira fonte a falar de levedado, no entanto, é de 1853: o Novo cozinheiro milanês económico, livro de receitas de Giovanni Felice Luraschi. As frutas cristalizadas (de cidra) aparecem no Tratato de cozinha, confeitaria moderna (1854) de Giovanni Vialardi, cozinheiro dos governantes sabaudi. A presença do panetone em um livro piemontês do século XIX prova a antiguidade da difusão deste doce na região escolhida pela Flamigni como sede das suas instalações de produção.

Pulseira de couro

A moda masculina tem conquistado cada vez mais homens ao longo dos anos, mas ainda há certo preconceito com o tema. O bom é que muitos estão deixando essas bobeiras de lado e buscando novidades e dicas para se vestir melhor. Aposto que você é um deles!

Por isso, em minha primeira matéria de moda masculina no Deles, reuni dicas básicas que facilitam o dia-a-dia de qualquer homem. Então, se quer saber como sair por aí com um visual super bacana, confira estas dicas!

O universo masculino é cheio de preconceitos, mas isso caiu muito nos últimos anos e a moda teve muitos avanços. Agora, muitos homens buscam novidades para se vestir e criar seu visual. Por isso, criamos a lista com 10 dicas de moda masculina que todo homem deveria saber.

São 10 dicas bem básicas que nunca saem de moda e que você precisa estar ciente. Apesar disso, nunca te falaram todas essas coisas de forma tão direta. Então, anota aí!

Moda é moda. Orientação sexual, é orientação sexual
Há tempos caiu por terra a ideia de que somente os homossexuais se cuidam ou que se vestem bem. Então se você pensa assim, está na hora de rever os seus conceitos.
Se cuidar e sentir-se bonito não define a orientação sexual e está super em alta. Os salões e clínicas estéticas recebem cada vez mais homens e há quem já esteja lado a lado com as mulheres no quesito “guarda roupa lotado”. A moda existe para que você se expresse através do que você veste, então use-a! Ah, e eu garanto que mulherada adora um cara estiloso.

O básico sempre está na moda

Na tentativa de inovar e trazer sempre pulseiras de couro interessantes para o visual, muitos homens tentam fazer combinações que não combinam muito bem e acabam formando um visual poluído. Por isso, essa é uma das dicas de moda masculina mais importantes. Quando não souber muito o que fazer, foque no básico que não tem chances de errar e sempre estará na moda.

Moda masculina é feita no detalhe
A moda feminina é cheia de tendências, inspirações e grandes inovações. Enquanto isso, a moda masculina vem aos poucos, caminhando nos detalhes. As grandes dicas de moda masculina quase sempre estão nos detalhes, como uma manga dobrada, uma gola diferente, um detalhe no sapato etc.

Moda básica com mais cor
Que o básico nunca sai da moda, ok! Mas nem por isso você precisa vestir apenas azul ou preto. Dê uma chance para outras cores. Muitos homens se surpreendem ao experimentar uma camisa com nuances puxadas para o rosa, vermelho ou até mesmo lilás. Seja no universo corporativo ou no casual, essas cores são muito bem vistas.
Em sua próxima compra, não deixe de experimentar uma camisa diferente . Se ainda não estiver convencido a ponto de comprar, tire uma selfie no espelho e se observe ao longo dos dias. Certamente isso ajudará você a se ver em outros tons e achará qual te valoriza. E lembrem-se, mulheres gostam e admiram homens com atitudes!

Se cuidar não define orientação sexual
Recebemos centenas de comentários preconceituosos sobre moda e cuidados pessoais. Existe uma ideia de que gostar de se vestir bem, cuidar da aparência e sentir-se bonito definem a orientação sexual. Isso não tem nada a ver. Moda é moda. Sexo é sexo. Todo homem precisa aprender isso de uma vez por todas.

As meias coloridas são muito elegantes

Chega de meias brancas e pretas, né? Como disse antes, as principais dicas de moda masculina estão nos detalhes. As meias coloridas são alguns destes detalhes. Você pode combinar a cor da meia com outros detalhes de seu visual e criar uma combinação incrível que será uma grande diferença em seu visual.

Escolha o tamanho certo
Nem muito grande, nem muito apertado. Essa é uma daquelas dicas de moda masculina que não precisariam ser ensinadas, assim como a 3, mas é preciso estar aqui. Roupas muito largas ou muito justas não são legais em nenhum homem, seja gordo, magro ou sarado. Busque o tamanho certo pra que o visual fique muito melhor.

Acessórios também são para homens
Entre todos os preconceitos da moda masculina, um dos mais fortes é de que os acessórios não são coisas de homens, apenas de mulheres. Nada disso! Eles são extremamente importantes para compor seu visual. Não à toa, as pulseiras de couro, colares, cintos e chapéus estão cada vez mais em alta. Uma das dicas de moda masculina que todo homem deve saber é Invista nos acessórios para ganhar mais estilo.

Detalhes
Nota-se que um homem está antenado na moda através de pequenos detalhes, como uma dobra na manga, uma camisa com gola diferente, uma gravata descolada, um jeans destroyed ou de uma lavagem mais moderna e até mesmo um detalhe no sapato . Por isso, capriche nos detalhes, eles farão toda a diferença no seu visual.

Meias
Quem nunca se deparou com algum homem com terno preto e meias brancas? Michael Jackson que o diga. O que talvez você não saiba é que as meias podem ser coloridas e quando combinadas com outro detalhe do look, criam um visual incrível.

Tênis de corrida é para correr

Tá! Essa aqui não é apenas uma das dicas de moda masculina. Essa é uma dica pra todos. Os tênis de corrida são apenas para corrida. Eles não ficam legais na maior parte dos visuais. Tenha um tênis melhor, uma bota masculina e outros calçados que fujam do já batido tênis de corrida.

Sapatos funcionam bem com roupas casuais
Maior parte dos homens acreditam que os sapatos são feitos para usar apenas com roupas sociais, no máximo em um esporte fino, mas você pode combinar diferentes tipos de sapatos com roupas casuais para criar um estilo muito mais interessante e ainda foge dos tênis de corrida que já falamos no item anterior.

Chapéu poder ser mais interessante que boné
Quase todos os homens jovens adoram um boné e não tiram da sua cabeça. É verdade que cria um estilo bem jovem e descontraído para a maioria, mas um chapéu pode ser muito mais legal. Se todos estão usando um boné, usar um chapéu é uma daquelas dicas de moda masculina que podem deixar o seu visual muito mais interessante e diferente da maioria.

Cores e estampas sempre caem bem
A primeira das 10 dicas de moda masculina que demos aqui é “o básico sempre está na moda”. Isso não significa que você não pode investir em outras ideias. As cores e estampas sempre são interessantes na moda masculina. Você pode usá-las muito bem e com resultados bem legais no visual. Basta usar um pouco de bom senso…

Tamanho certo
Outra coisa que facilmente vemos por aí, são homens vestindo roupas largas ou grandes demais. A dica é: nem muito grande, nem muito apertado! Busque o tamanho certo para que o seu visual fique melhor. Isso certamente te valorizará, mesmo se estiver com quilinhos a mais ou a menos.

Tênis
De modo geral, os homens dão muito mais valor ao conforto do que mulheres. Isso não significa que você sempre precisa sair com o tênis de corrida ou da academia, né?

Unhas Decoradas: como fazer passo a passo

As unhas decoradas, ainda estão em alta em 2016(2017) e ganhando cada vez mais adeptas a este estilo aqui no Brasil, sejam elas decoradas com flores, adesivos divertidos ou com fotos favoritas, francesinhas com nova releitura, degrades, praqueles, marmorizados, com pedras, enfim, todas estão na moda.
As unhas dos pés, pelicula de unhas, também ganham decorações, assim como as unhas para noivas que querem casar tendo uma decoração diferenciada nas mãos, no seu grande dia.

No entanto, muitas delas são fáceis de fazer sozinha, onde nem é preciso ir na manicure para fazer a pintura, pois até os adesivos tem como aplicar em casa.

Agora, trago alguns estilos que você mesma pode fazer.

Unhas fáceis de fazer sozinha
Francesinha
Depois de fazer as unhas com a remoção de excesso de cutícula, lixar e passar base, passe em toda a unha, um branco transparente, deixando secar um pouco.

Com um Branco mais forte, como o branco puríssimo, por exemplo, faça uma pequena linha na ponta da unha. Se tiver dificuldade, deixe secar completamente a unha com o branco transparente e depois ponha um pedaço de durex na parte onde não vai ser pintada.

Passe o esmalte na ponta da unha, mesmo que suje o durex e deixe secar. Depois de seca, só retirar o durex com cuidado e passar uma camada fina de base, ou alto brilho por cima da unha toda e está pronto.

Ainda pode fazer a francesinha invertida, onde a linha vai na parte de dentro da unha, pegando a matriz, fazer as pontas em V e em formato de coração, podendo finalizar com um stras ou uma fita prata ou dourada.

Ainda pode se fazer a francesinha com outros tons pastéis, ou até mesmo com tons mais escuro, como por exemplo, a unha preta com a linha branca, o vermelho com linha dourada, ou preta.

Unhas vermelhas com degradês
Com a unha preparada para fazer a pintura, use um pedaço de espuma ou esponja, que tenha um pouco mais o tamanho da unha, fazendo uma linha larga de vermelho mais aberto, uma com um vermelho mais fechado e outro com o preto ou um vermelho mais pro vinho.

Bata a esponja como se tivesse carimbando a unha, sem se preocupar se está borrando, tendo o vermelho mais claro na parte de dentro e o mais escuro para a ponta da unha. Depois de limpar em volta, cole uma pedra de strass, usando uma cola própria, finalizando com alto brilho.

Ainda pode fazer esse degrade somente com vermelho mais fechado e preto. Além de poder usar outras cores, ou cores florescentes, misturando o amarelo com laranja e vermelho ou rosa.

Unhas com adesivo de fotos ou com flores
Escolha o adesivo desejado, prepare a unha e passe uma camada fina de base. Se o adesivo for tampar toda a unha com sua estampa, como a de fotos, antes da base secar, aplique-a na unha, utilizando um palito ou uma espátula para alisar e alinhas corretamente, para que não aja bolhas.

Com uma lixa de unha, passe na ponta da unha, para tirar o excesso do adesivo e passe uma camada de base, ou alto brilho. Caso o adesivo tenha partes transparentes, tendo só um detalhe, escolha um esmalte para fazer o fundo, que combine com o desenho escolhido e deixe dar uma pré-secada.

Aplique o adesivo da mesma forma anterior e finalize com a base ou o alto brilho.
Unhas assimétricas
Com o auxílio de um durex e a unha totalmente pintada e seca com a cor escolhida, marque as linhas, seja em diagonal, horizontal, ou vertical, passando em seguida, a outra cor escolhida nas partes que estão expostas. Espere secar e retire o durex, finalizando com um extra brilho.

Tendências para Noivas
A tendência de unhas decoradas para noivas, está em alta, pelicula de unhas, onde as simples francesinhas são complementadas com decorações a mão de arabescos, pedras, flores e até desenhos de vestido de noiva e terno do noivo.
Ainda tem aquelas que preferem ousar usando adesivos feitos com fotos dos noivos, fitas coloridas, próprias para unhas, bastante stras, gliter dourado, prata, ou coloridos em uma das unhas, ou até mesmo em todas.

Os tons clássicos, que são os pastéis, ainda estão em alta, mas que podem ser usadas para fazer degrade, usando do tom de rosa bebê para o mais escuro, por exemplo, ou até mesmo um rosa claro com dourado e que fica muito bonito.

As unhas tipo veludo, também são uma boa pedida para as noivas que querem inovar, mas deixar com aquele ar clássico.

O estilo rendado, que pode ser com a aplicação de um adesivo, ou por meio de um carimbo próprio, ainda é uma ótima aposta, para quem curte o estilo mais clássico.

Outra opção, é fazer a unha com cor clara, como branco, rosa bebê e desenhas flores com cores mais vivas, como amarelo, vermelho, verde, azul. O contraste de cores, vai trazer harmonia e elegância.

Mas a adeptas ao vermelho e vinho, não precisam ficar tristes, pois se pode usar essas cores no dia que é tão especial. Mas só cuidado para não exagerar, se preferir fazer uma pintura artística, onde as unhas se sobressaiam mais que a própria noiva!

Seja para o dia a dia, para uma ocasião especial, uma festa que foi convidada, ou até mesmo para seu próprio casamento, existem várias formas de conseguir unhas lindas e decoradas, mas lembrando sempre, que para os pés realmente realçarem sem ficarem vulgares, sempre é bom usar tons mais claros, mesmo com alguma decoração, independente das unhas das mãos estarem com tons mais escuros. Por isso, sempre aposte em tons pastéis e nude para os pés.

Criação de Codornas

Saiba como montar uma criação de codornas e se dar bem em seu empreendimento.

No mundo do agronegócio existem muitas alternativas para o investimento sendo que neste caso a codorna é um dos animais preferidos para quem deseja iniciar uma criação de aves em qualquer porte possível.

Confira também: apostila de criação de codornas.

Com relação a este assunto, os interessados em conhecer os detalhes de como criar codornas devem compreender que é preciso uma estrutura muito simples e básica tendo como benefícios adicionais a praticidade para administrar este tipo de negócio além da possibilidade elevada de ganhos por ser um mercado bem promissor para a venda das aves em si e também de seus ovos.

​Sua Ideia de Negócio É Lucrativa?
Saiba quais são as 4 perguntas poderosas que podem salvar seu negócio antes mesmo dele ser criado. Evite cometer os ERROS COMUNS dos empreendedores de primeira viagem. Saiba mais…

PS: No final eu apresento uma ferramenta que pode triplicar suas chances de sucesso com um negócio próprio. Clique aqui!

De forma geral, a codorna é um pequeno animal conhecido há pouco tempo no Brasil com a sua inserção acontecendo no território brasileiro na década de 1950 junto com os imigrantes japoneses, pois esta pequena ave é originária deste país asiático que as utiliza

para consumo há mais de mil anos.

A principal vantagem para quem deseja saber como criar codornas se refere ao fato de que estes animais possuem uma boa reprodução, ou seja, oferecem ovos com grande frequência e alcançam a idade ideal para se reproduzir muito rápido, tornando assim o negócio bem mais próspero em comparação com a criação de outras aves ou animais para criação.

Para os interessados existe ainda um benefícios adicional que está no fato de que as codornas possuem uma melhor saúde do que as galinhas devido à pequena quantidade de hormônios que possuem na região da pele bem como pelo seu ovo, que é mais saudável que o da galinha.

Assim, por todas estas possibilidades e benefícios oferecidos vamos mostrar a seguir de maneira mais detalhada as questões mais relevantes para os interessados em saber como criar codornas para alcançar o sucesso e prosperidade neste tipo de negócio.

Estrutura para a criação de codornas

O primeiro aspecto que deve ser considerado para quem deseja informações sobre a criação de codornas se refere à estrutura necessária para este empreendimento que exige investimento pequeno.

Por isso, os locais ideais para a montagem de uma criação de codornas são sítios, fazendas ou casas de campo porque é preciso oferecer para estas aves uma estrutura em madeira como um galpão de alvenaria contendo pelo menos 16 metros quadrados para abrigar cerca de 2.000 aves em seu interior.

Além disso, o local a ser construído por quem deseja saber como criar codornas precisa possuir boa circulação de ar para que a temperatura média ambiente neste local seja de 19 graus, pois desta forma não ocorrem prejuízos à capacidade fértil das codornas utilizadas.

Outro cuidado importante se refere à necessidade de oferecer para as codornas uma cobertura contra eventos como chuva e sol que pode ser de madeira, telha ou mesmo metalizada.

Na maioria dos casos, as telhas de amianto são as preferidas pelos criadores devido ao seu preço mais barato e acessível bem como pelo seu fácil manejo para manutenção como troca ou aumento de altura.

Dentro do galpão para abrigar as codornas é importante construir uma estrutura para que as aves fiquem acomodadas no formato de gaiolas de arame ou algo do gênero. O espaço da gaiola também deve ser considerado e por isso este instrumento deve ser feito na altura do piso de um metro por trinta centímetros de largura, que podem comportar até quinze fêmeas em um mesmo espaço sem preocupação.

Assim, elas não lutam por espaço e não se tornam competitivas quanto à alimento, mas para isso é preciso que o mesmo esteja em quantidade abundante no chão.

Para saber de forma efetiva como criar codornas é necessário considerar na montagem da estrutura para a criação de codornas que esta ave coloca seus ovos no chão, ou seja, eles precisam ser protegidos. Por isso, o ideal é que a gaiola tenha um pequeno declive no piso direcionado para o fundo da gaiola, no qual deve estar disposta uma boa quantidade de serragem para aparar os ovos que será retirado em seguida pelos criadores.

Raças para a criação de codorna em cativeiro para abate

Depois de organizar de maneira correta o lugar para a criação é importante escolher com cuidado o tipo de codorna a ser criado sendo que neste caso a raça recomendada para a criação em cativeiro é a Coturnix coturnix japônica, conhecida como codorninha porque tem mais carne, se adapta melhor ao clima brasileiro e é a que mais coloca ovos. As fêmes colocam, ao menos, um ovo por dia.

Apresentam um peso corporal respectivos de 155 gramas e 180 gramas para machos e fêmeas com coloração do peito na cor castanha com pintas pretas tendo ainda as glândulas cloacais como uma saliência na região íntima das aves.

Estas aves crescem e se reproduzem a cada 45 dias estando prontas para o abate quando completam 5 ou 6 semanas de vida com o primeiro ovo fértil surgindo em até 20 horas após a primeira cópula.

Reprodução da codorna

Ao considerar a maneira adequada de como criar codornas no aspecto reprodutivo, não existe ave melhor para iniciar uma produção como forma de empreendimento do que a codorna.

Para se ter uma ideia do nível de lucratividade para uma criação de codornas, com apenas uma só codorna podem ser criadas 42 novas aves, pois seus ovos são constantes e extremamente férteis quando chocados.

Fêmeas e machos de codornas cruzam durante o ano todo, sem época definida, precisando apenas de um macho para cada cinco fêmeas, que devem ser mantidas neste sistema por no máximo dois anos, quando é preciso encontrar um novo reprodutor para que a raça não sofra mutações genéticas.

Neste aspecto é preciso ainda estar atento para o fato de que colocar sempre os pais para cruzar com filhotes pode fazer com que a genética para determinadas doenças se manifeste com mais facilidade na prole. Por isso, o ideal é evitar o cruzamento constante de filhotes da mesma fêmea com seus pais.

Para reproduzir, as fêmeas precisam ficar em contato com o macho apenas por doze horas seguidas. Depois de um dia de descanso, ele já pode entrar em contato com mais fêmeas para acasalamento. As fêmeas, depois de acasaladas, devem ficar isoladas para que se sintam menos estressadas e assim não aconteça nada que atrapalhe a fertilização dos ovos.

A boa noticia para quem está investindo neste ramo e busca informações sobre como criar codornas é que esta ave está pronta para a reprodução tão rápido quanto está para o abate e posterior venda.

Os ovos necessitam apenas de 16 dias para gerar novas aves e não precisam estar com as fêmeas. Basta ter uma chocadeira que permaneça em torno de 16 graus, a temperatura ideal em que a fêmea deixa o ovo enquanto o choca.

Em seguida é preciso separar os ovos como uma medida de segurança para evitar que a fêmea estressada não o quebre levando com isso a prejuízos na produção.

O período de evolução desta ave até a sua idade adulta é extremamente rápido: menos de seis semanas. Com a alimentação correta ele irá passar pelo período de engorda e já estará na idade adulta em um mês e meio, pronto para o abate e venda. É ideal respeitar este período para obter o maior aumento de peso possível da ave e assim, mais lucro.

Para garantir a manutenção da maior quantidade dos ovos fecundados é importante antes da chegada das pequenas codornas com um dia de vida deixar o galpão limpo e desinfetado. Ao chegar, as codorninhas devem ser colocadas em círculos de proteção com as câmpanulas ligadas e tendo uma temperatura de aproximadamente 40o.

Alimentação das codornas em cativeiro

Esta ave possui como alimentação uma dieta vegetariana. O criador pode manter o consumo de vegetais, mas é bom combinar com a administração de ração balanceada, ideal para quem quer ter um aumento de peso e uma criação extremamente lucrativa.

Opte por misturar ração balanceada com bastantes proteínas, vendida em casas de rações. Pode ser ainda feita em casa com grãos, mas para isso, faça uma consulta com um zootecnólogo para que não prejudique o período de engorda das aves e elas percam peso.

O peso de uma codorna macho máximo é de 100 gramas quando adulto e de uma fêmea é de 80 gramas, por isso a questão de peso é tão importante.

Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Estude em livros, contrate uma consultoria, use o Kit Como Abrir Um Negócio, enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!

Como cuidar de orquídeas

Como cuidar de orquídeas

As orquídeas são flores exclusivas que são muito utilizadas na decoração de um jardim ou espaço interior. Saiba como cuidar de orquídeas e embeleze a sua casa ao longo de todo o ano.

QUAIS AS MELHORES ORQUÍDEAS PARA TER EM CASA

Existem várias espécies de orquídeas disponíveis no mercado, no entanto, uma das que melhor se adapta a uma casa é a phalaenopsis (orquídeas mariposa ou borboleta), que inclui variações como a tillandsia cyanea (bromélia) e o anthurium scherzerianum (antúrio). Estas orquídeas têm uma enorme variedade de cores, são de origem tropical e, como tal, desenvolvem raízes aéreas que lhes permitem crescer em cima de outras plantas, normalmente árvores ou arbustos. Devido à sua natureza, estas plantas estão habituadas a receber uma humidade aérea típica das regiões tropicais, contudo, isso não significa que se adaptem da melhor forma a um vaso ou jardim e à humidade através da rega comum.

COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

A plantação de orquídeas deve ser realizada preferencialmente num vaso. No entanto, para que elas se desenvolvam e cresçam de uma forma saudável, é necessário cumprir com os aspetos seguintes:

A REGA DAS ORQUÍDEAS

A rega das orquídeas é uma tarefa de extrema importância no que ao seu cuidar diz respeito, uma vez que estas plantas não desenvolvem substratos húmidos. Dessa forma, é importante manter humedecido o composto onde elas estão plantadas e verificar se a drenagem está a ser corretamente efetuada, caso contrário, a planta pode adoecer e morrer.

Por norma, no verão, as orquídeas precisam de ser regadas uma vez por semana, preferencialmente no final da tarde ou no início da manhã. Ao passo que no inverno, é necessário deixar secar o composto entre regas. A água mais indicada para regar as orquídeas é a água da chuva ou a água que é previamente fervida e arrefecida.

Tenha em atenção que as orquídeas devem manter-se sempre com uma humidade alta, especialmente se existir um desumidificador ou radiador no local onde elas se encontram. Para saber se o substrato está húmido ou seco, basta colocar um dedo dentro da terra das orquídeas, com o intuito de ver se esta já se encontra pronta a ser regada.

A TEMPERATURA MAIS APROPRIADA PARA O SEU CRESCIMENTO

As orquídeas são plantas específicas que necessitam de muita luz natural, no entanto, não devem ficar diretamente expostas ao sol para que as suas folhas não fiquem secas. Nesse sentido, o ideal passa por colocar uma orquídea numa janela virada para este ou oeste. Tenha em mente que as phalaenopsis e os antúrios devem ser mantidos acima dos 15 graus centígrados, preferencialmente nos 20 graus; e as bromélias devem estar a uma temperatura mínima de 12 graus centígrados. Quanto mais altas forem as temperaturas, maiores deverão ser os cuidados a ter com a rega e com o solo das orquídeas.

A PODA DAS ORQUÍDEAS

As orquídeas devem ser podadas com regularidade para que as plantas se mantenham sempre saudáveis e com um ótimo aspeto. Assim que a flor da orquídea phalaenopsis tiver florido, é necessário cortá-la acima do segundo ou terceiro nó a contar da base para estimular o crescimento de um segundo rebento. No caso das bromélias, é comum aparecerem novos rebentos na sua base. Quando estes apresentarem 1/3 do tamanho original da planta ou quando os rebentos semelhantes terminarem de crescer, é preciso cortar as ramificações que se encontram em excesso para que a planta se possa desenvolver com a máxima liberdade.

A CORRETA FERTILIZAÇÃO DA TERRA

As orquídeas são plantas que exigem uma terra rica em nutrientes e, como tal, necessitam de um solo que esteja corretamente fertilizado. É aconselhável que utilize todo o tipo de fertilizantes orgânicos ou misturas, uma vez que estes garantem os melhores resultados e fazem com que a terra fique o mais fértil possível. Tenha em mente que os fertilizantes não devem ser colocados junto aos bolbos das orquídeas, uma vez que isso pode queimá-los. Eles devem ser aplicados diretamente na terra do vaso onde se encontram as orquídeas. Mais tarde, e de acordo com a irrigação que for feita, o fertilizante vai se dissolvendo e a planta vai absorvendo os nutrientes necessários para o seu crescimento. Tenha em consideração que os intervalos entre as fertilizações devem ser de aproximadamente três meses.

É de destacar que os antúrios e as bromélias florescem mais rapidamente quando recebem um suplemento de potássio. Por outro lado, as flores de phalaenopsis revelam um crescimento mais dinâmico quando são deslocadas para um local 2 ou 3 graus centígrados mais frio que o habitual, até os pequenos botões estarem formados.

A TRANSPLANTAÇÃO DE ORQUÍDEAS

A transplantação de como cuidar de orquídeas ocorre na primavera e é realizada com o intuito de manter as respetivas plantas estáveis e saudáveis. Para que a transplantação de orquídeas seja efetuada corretamente, é necessário colocar uma pequena estaca na terra para segurar e auxiliar o crescimento das plantas, até que as raízes destas fiquem bem firmes.

As orquídeas phalaenopsis devem ser transplantadas a cada 2 anos ou quando o fertilizante orgânico se tenha decomposto. Adicionalmente, deve utilizar uma mistura especial de fertilizantes para orquídeas e adicionar cascas de carvalho moídas para uma drenagem suplementar.

No que diz respeito aos antúrios e às bromélias, estes devem ser transplantados a cada 2 ou 3 anos e devem levar um composto à base de folhas, cascas de carvalho e areia especial para horticultura, para que as orquídeas se mantenham sempre vivazes e esbeltas.

5 diferentes tipos de pisos para a sua casa

Pisos para casaHá muitas opções que você pode usar no piso da sua casa ou comercio, mas aqui vou falar de apenas os 5 tipos principais de materiais, que basicamente se dividem em: laminado, madeira, pedra, cerâmica e piso epóxi. O tipo de revestimento que você escolher pode impactar pesadamente o valor de seu orçamento e da qualidade e valorização do imóvel. Abaixo, estão os top 5 tipos de piso mais utilizados nas casas, bem como os prós e contras para cada um.

 

Laminado

Sendo uma escolha muito popular, pode ser uma opção econômica para cobrir um quarto ou casa inteira. É comumente conhecido como uma “versão barata de madeira”, laminado é verdadeiramente uma boa opção se você não quer gastar investindo em um piso de madeira natural, o material é muito durável, resistente a manchas e é muito fácil de instalar.

Enquanto piso laminado tem seus altos, geralmente não faz a sua casa valer mais do ponto de vista de um comprador. Se ele descolorir, não é possível reabilitar o material e também é muito suscetível a danos causados ​​pela água parada.

 

Piso de Madeira

Se você tem ou teve pisos de madeira, já sabe o seu valor. É uma dessas melhorias que realmente será um ponto de venda e valorização. Este tipo de piso, mesmo que seja velho e desgastado tem outro positivo – pode ser recuperado.

Enquanto a madeira torna o ambiente convidativo, é por outro lado sensível à deformação por muita umidade, e pode se tornar um problema. O piso de madeira agrega valor, mas também exige cuidados para prolongar a durabilidade, além de ser uma das opções mais caras para cobrir seu piso.

 

Pedras Naturais

Os pisos de pedras são fortes e grossos e extremamente duráveis, uma vez que são quase indestrutíveis. Eles têm uma aparência clássica, mas com um lado contemporâneo. Como a madeira, os assoalhos de pedra podem adicionar o valor ao ambiente, além de serem resistentes a água e umidade.

Piso de pedra, porém, não é barato. E, juntamente com o custo, eles mantêm o ambiente frio, e são um pouco difíceis de instalar.

 

Cerâmica

Um benefício o piso de cerâmica é que podem ser fáceis de substituir, são bem duráveis mas não são indestrutíveis, podem ocorrer rachaduras e riscos quando tem objetos pesados ​​sobre eles. Estes também podem ser pisos muito barulhentos e que podem se tornar escorregadios quando líquidos são derramados sobre eles.

 

Piso Epóxi (Resina Epóxi)

São muitos os benefícios do piso epóxi (também conhecido como porcelanato líquido) em sua casa, e tornaram-se cada vez mais populares. É um revestimento brilhante, bonito e muito durável, é ideal para todos os cômodos da casa ou comércios e industrias, é uma opção melhor para sua casa do que o laminado, madeira, cerâmica, pedra ou qualquer outro tipo de piso que pode ter.

A durabilidade é impressionante e ao contrário do laminado, cerâmica e madeira, não há necessidade de se preocupar com danos causados ​​por água, lascas e rachaduras, é fácil de limpar e tem uma aparência linda, limpa, lisa, elegante, sofisticada e brilhante, tornando-se uma escolha superior – epóxi será sempre a melhor opção para você.

Seja qual for sua escolha, as possibilidades são muitas e dependem apenas do que você estará tentando criar, baseado no seu orçamento e gosto pessoal.